Aguarde!

Carregando publicidade

Pesquisar no Portal de Canoinhas

Carlos Alberto Hang 16/06/2009

DETENTOR DO OSCAR BRASILEIRO by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes ASSINANDO  28  COLUNAS  EM  7  ESTADOS  BRASILEIROS  

O Jornal Evolução é o jornal do Planalto Norte Catarinense, Sul Paranaense e tem circulação também em Joinville e região por assinaturas. Minha coluna desta semana já está circulando nas bancas, chegando nos assinantes e está on-line. Clique na logo acima para ver a coluna atual ou à leia neste informativo.

OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

Educação Infanto-Juvenil - pais não são amigos Continuando o assunto anterior a respeito dos papéis dos pais diante da criação de seus filhos, hoje analisaremos outras nuances. Amigo é aquele que está ligado por uma afeição recíproca, assim como aquele que tem boas relações com outrem, entre outras atribuições que encontraremos nos melhores dicionários. Mas pai e mãe podem ser amigos de seus filhos, como muitos se auto-intitulam, numa postura de pais modernos? Lembro-me, neste instante, de uma palestra que eu estava ministrando, tendo como temática principal os relacionamentos familiares e sociais, e uma mãe, que estava acompanhada de sua filha adolescente, dizia que não concordava quanto à minha fala (ao me referir que pais não são amigos, mas pais), pois seu relacionamento com a filha era de amiga, mesmo que ela, anteriormente a isso, viera a reclamar de algumas posturas inconvenientes no dia-a-dia da mesma filha diante da falta de respeito à sua pessoa. De uma maneira geral poderíamos, sim, dizer que os pais são amigos dos filhos, mas este adjetivo é limitado diante da responsabilidade relacional que eles devem ter com suas proles, o qual deve ser suplantado, se adotado o for. Pai é pai e mãe é mãe, e não somente amigos, pois suas funções estão acima do que o vocábulo amigo é detentor conceitual. Alguns pais preferem assumir o papel de amigos dos filhos para não terem que assumir as reais funções de pais.

Já outros por não quererem assumir o papel de adultos, se portando como adolescentes, assim como seus filhos o são. Até mesmo pelo motivo de que, perceber seu "bebê" agora adolescente ou adulto, é proporcional a perceber a si mesmo como um adulto envelhecendo de fato, causando angústia diante deste distanciamento cronológico e físico para alguns pais, pois nada mais claro diante disso é a certeza de que os anos se passaram e que o tempo não volta e não se demora com dias passados, parafraseando meu amado escritor libanês Gibran Khalil Gibran. Sendo assim, alguns pais se portam como adolescentes, tentando se igualar aos filhos, numa maneira de não terem que se dar conta da sua realidade. Um amigo não tem poder de impor limites aos seus amigos e, mesmo que possam acionar ao outro conselhos de diversas ordens, estão longe de autoridade possuir para vir a serem sinalizadores de limites e repreensões maiores. Amigo acompanha seus amigos em diversos eventos sem compromissos e é aquele que ouve coisas do outro que este não se sentiria bem, na maioria das vezes, contando aos pais, e nem os pais gostariam de saber e ouvir de fato certas coisas, por mais modernos que venham a ser, até mesmo por terem dificildade de olhar seus filhos de maneira tão neutra quanto um amigo o possa. Principalmente os filhos adolescentes precisam do corte do "cordão umbilical" para seguirem com segurança para a fase adulta, e isso se dá com o distanciamente das figuras representativas dos pais de certa maneira. Os pais têm que "retirar o time do campo" na hora correta, deixando os filhos se haverem diante da busca de seus próprios questionamentos, funcionamento como mecanismo de amadurecimento. Os pais são aqueles que têm a autoridade de impor limites, serem a lei, de se portarem como porto seguro de seus filhos e devem ter a capacidade de deixar seus filhos andarem com as próprias pernas, mas antes devem inserir neles o sentimento de que sempre estarão ao lado deles, mesmo longe parecendo estar, funcionando como chão firme e estável aos pés dos filhos em alguns momentos. Tudo bem se os pais desejam ser vistos como amigos de seus filhos, mas que suas atribuições suplantem o que a palavra amigo significa e que nunca esqueçam de que, em primeiro lugar, são pais, sendo que a amizade é apenas uma maneira de dizer que querem bem e repeitam seus filhos dianta da individualidade deles, como um amigo assim o faz. (by Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995) Mehr Licht "Partindo de uma liberdade ilimitada chega-se a um despotismo sem limites." (Fedor Dostoievski, romancista russo; Moscou, 1821 - São Petersburgo, 1881)

FAMÍLIA WETZEL NO CAFÉ COLONIAL ANA MARIA

A Família Wetzel esteve muito bem representada no lançamento do Café Colonial Ana Maria (anexo ao Supermercado Giassi Joinville) por três de nossas queridas amigas, as quais foram homenageadas como personalidades de nossa sociedade. Vejamos algumas imagens clicadas pela fotógrafa Sheila Gastardi: Ana Luiza Wetzel (Hotel Tannenhof) ao lado da anfitriã do evento, Ana Maria Giassi.

Ingrid Moeller Wetzel, homenageada como mãe e personalidade de destaque, recebeu um troféu em cristal assinado pelo artesão blumenauense Levi Bini.

A dinâmica Carin Wetzel, também recebeu uma flor em cristal por ser homenageada como mãe e personalidade de destaque.

Fotos by Sheila Gastardi

O Bourbon Business Hotel Joinville está trocando de gerência geral. O competente Uldenir Merlin estará deixando a gerência geral do hotel para assumir a gerência regional da rede e quem assume o cargo de gerente geral em Joinville é outro competente profissional, Odair Gonçalves. Duas personalidades dinâmicas e que muito admiro. Que ambos tenham uma gestão repleta de muito sucesso!!! (Foto: Carlos Alberto Hang)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

Etiqueta Social para Crianças: educar para o futuro...

Regras de etiqueta social devem ser incorporadas desde a mais tenra infância. O nosso papel é de ensinar aos infantos para que venham a se tornarem adultos que saibam conviver no meio social. Para que venhamos a ter um bom relacionamento, precisamos aprender a educar nossas vontades e a termos limites, e isto deve ser aprendido e treinado desde a primeira infância. Deixar uma criança sem limites é tão prejudicial quanto o rigor excessivo, pois este inibe a personalidade da criança e, em ambos os casos, terá problemas relacionais futuros. Da mesma maneira ocorrerá diante da superproteção à criança, pois esta postura rouba dela a experiência do aprendizado, com o qual ela aprende a se defender e fazer escolhas próprias, além de adquirir conhecimento de como lidar com a frustração. Nas próximas colunas apresentaremos alguns dicas e regras de etiqueta para serem usadas com crianças que, mesmo não sendo sinal de garantia, pelo menos são indicadores mais certeiros diante de um futuro adulto com bons e adequados relacionamentos sociais. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995)

COLUNA VEICULADA EM 29 DE MAIO DE 2009

OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

Elaborando a Bíblia - O Reino de Deus vitam impendere vero "Interrogado pelo fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Lá está! porque o reino de Deus esta dentro de Vós". Esta passagem é do Novo Testamento, e pode ser lida em Lucas 17:20-21, pela tradução de João Ferreira de Almeida. Na versão desta passagem na Bíblia de Jerusalém, o final diz que esta no "meio de nós". Lembrei-me neste instante da encíclica de nosso eterno amado Papa João Paulo II intitulada "Fides et Ratio" (latim, "Fé e Razão"), pois precisamos ser mais que criaturas cristãs, isto é, sermos seres crísticos para que tenhamos a lente necessária para fazermos uma leitura mais clara e proveitosa dos textos bíblicos, mesmo que sejamos tachados de relativistas por aqueles que creem deter o poder pleno de interpretação e ousam chamar de blasfêmios os que pensam diferentemente deles. Se o reino de Deus está dentro de nós, como podemos perder tempo O procurando do lado externo? Buscá-Lo dentro de nós é um verdadeiro "sacrum facere" (fazer sagrado), a fé realmente precisa estar presente, mas acompanhada da razão, a qual a fortalece e não deixa apenas o campo mítico estar operando diante das concepções que venha a promover. O maravilhoso Huberto Rohden, em seu livro "O Quinto Evangelho", em que apresenta a mensagem do Cristo segundo Tomé, também tem uma versão desta passagem. Vale lembrar que foi, em 1945, que lavradores que escavavam o cemitério de Nag Hammadi, no Egito, encontraram manuscritos em caracteres coptas dentro de potes de barro. Eram papiros encadernados em couro que continham o Evangelho do Apóstolo Tomé, ainda não aceito pela Igreja. Na versão de Tomé sobre quando viria o Reino de Deus está escrito que "Jesus respondeu: Não vem pelo fato de alguém esperar por ele; nem se pode dizer, ei-lo aqui! ei-lo acolá! O Reino está presente no mundo inteiro, mas os homens não o enxergam". Se cada casa fosse limpa, não teríamos todas as casas do mundo limpas? Se cada um de nós buscarmos com afinco o Reino de Deus e o promovermos dentro de nós, não teríamos um grande Reino de Deus coletivo? Será que a maioria das religiões estão sinalizando esta busca, ou promovendo um reino fora do homem e, por que ainda não dizer, como inatingível para a maioria diante das exigências que fazem diante da posse das chaves da porta de entrada deste reino? Ou será que isso se dá devido a muitos dos "fiéis" se acomodarem diante desta busca colocando a responsabilidade maior sobre a instituição religiosa, por ser mais cômodo repassar esta responsabilidade do que ir em busca de si mesmo, e ainda se sentem dignos deste reino por seguirem alguns preceitos (pelo menos aparentemente ou dentro de suas visões) e pagando as prestações deste direto ao reino através de dízimos, pois o veem como direito adquirido diante dele do que como meio de promover a sua própria Igreja enquanto instituição, ou ainda através de atos mecânicos de caridade? Se, conforme lemos em Lucas, o Reino de Deus está dentro de cada um de nós, então juntos formamos um grande Reino de Deus e dignos de crescimento e repeito mútuo, mas com a responsabilidade primeira na individulidade, uma das premissas impostas pelo livre arbitrio, mesmo que relativo este venha a ser. Cabe a cada um de nós a remoção dos obstáculos que obstam a entrada plena deste Reino de Deus, e isto evoca auto-conhecimento, desejo, busca por si mesmo, e tudo alicerçado no "Fides et Ratio". Se temos a participação das instituições religiosas e de terceiros diante da busca deste Reino de Deus, esta deve se limitar a despertar interesses para tal e sinalizar caminhos, mas nunca impor ações, não respeitando o tempo do outro e muito menos colocar o Reino de Deus num lugar que venha a ser fora do próprio ser-humano, pois como o próprio Cristo nos indicou, o Reino de Deus está dentro de nós, no meio de nós, sendo que eu e o outro somos um, células que formam o grande corpo do Reino de Deus. Vitam impere devero (consagrar a vida a verdade). (By Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995) Mehr Licht "Amar é dar o que não se tem a quem não é". (Jacques-Marie Émile Lacan, psicanalista francês; 1901 - 1981. Esta frase é uma leitura de Lacan diante da obra de Platão intitulada "O Banquete")

Na coluna de hoje apresento mais alguns amigos merecidamente homenageados durante a badalada inauguração do Café Colonial Ana Maria (anexo ao Giassi Joinville). Representando a conceituada e tradicional Livraria Midas, as competentes empresárias e sócias Edla Retzlaff de Oliveira e Margareth Drefahl. Destaco também a passagem natalícia, neste dia 29 de maio, de Margareth Drefahl, a qual comemora com amigos e familiares mais um ano de sua abençoada vida. Registro aqui meus parabéns e votos de muitas felicidades a esta minha nobre e culta amiga!!!

Casal Zilana Goudinho e Manoel Goudinho, gerente do homenageado Sesc Joinville. Manoel, profissional admirado pela sua competência, dinamismo e humildade, características que lhe são peculiares, foi uma das primeiras pessoas que apostaram decididamente em minha carreira profissional, desde 1994, ao qual serei eternamente grato pela confiança e amizade depositada em minha pessoa.

O empresário homenageado pela família Giassi, Carlos Giovanella (Stallones Fashion Center), e o advogado Laércio Bauer. Tenho imensa satisfação de que meus trajes sejam assinados pela Stallones Fashion Center quando nos melhores eventos sociais me faço presente.

Meu querido casal amigo, cuja presença é sempre ímpar em nossos eventos sociais, é formado por Lili Perini e pelo advogado e presidente da Sociedade Harmonia Lyra, Flávio Perini. Lili foi homenageada como exemplo de mãe e personalidade de nossa sociedade, recebendo de Ana Maria Giassi uma linda rosa de cristal. (Fotos: Sheila Gastardi)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

TABAGISMO - dicas finais...

Nas três colunas anteriores abordei a respeito das regras comportamentais adequadas de um adepto do tabagismo. Hoje finalizaremos esta temática sinalizando algumas dicas importantes no que diz respeito ao convívio social de um fumante. O fumante nunca deverá fumar sem antes pedir licença aos presentes e, mais que isso, deverá atentar se a permissão dada foi natural ou apenas para que ele não se sentisse ofendido. Caso ele perceba que realmente preferem que não fume, que então desvie o assunto e diga que deixará para fumar depois, sendo que isso dará créditos a ele diante dos demais, pois denota verdadeiro respeito ao outro mediante deste sacrifício de não fumar. Em mesa de refeição, nem em sonho poderá fumar. Ao fumar, cuide com a direção da fumaça. Após fumar lave as mãos, pois é desagradabilíssimo darmos a mão a um fumente e depois ficarmos com o cheiro de cigarro na nossa. Nunca fale com o cigarro à boca. Se acompanhado estiver, fumar em seu quarto ou de hotel é terrível, se quiser, use a sacada ou área aberta da casa ou hotel. Jogar resto de cigarro ao chão e ainda pisar sobre ele para apagá-lo, é de uma falta de elegância ímpar. Cinzeiros devem sempre estar limpos, pois do contrário, o cheiro ruim invade todo o ambiente. Evite usar fósforos para acender cigarros pois eles deixam no ar um cheiro desagradável; portanto, use isqueiros. Finalizamos esta pauta sobre tabagismo dizendo que, se não consegue parar de fumar, use sempre de bom senso e respeito aos não-fumantes diante deste seu vício. Isto, sim, é uma postura elegante. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995)   COLUNA VEICULADA EM 22 DE MAIO DE 2009 OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

Desmistificando a Sexualidade Humana - Do Feto ao Ancião Desvio Sexual: a paedophilia erotica e a análise do pedófilo Sub Specie Aeternitatis Quando falamos sobre paedophilia erotica ou pedosexualidade ou ainda pedofilia, estamos tratando de uma perversão de caráter sexual, sendo uma atração sexual de um adulto direcionada às crianças pré-púberes. Estamos diariamente vendo através dos veículos de comunicação relatos diversos de casos de pedofilia ocorrendo em nossa sociedade, sendo que a reação da maioria de nós, diante disto, é uma natural revolta repleta de sentimento de justiça a ser feita - apontamos culpados, feito juízes plenos de poder diante de suas togas. Como já explicado em diversos artigos aqui veiculados a respeito da sexualidade humana, a orientação sexual se dá por uma construção diária, desde a mais tenra infância, e não se trata de uma livre opção como muitos querem anuir como tal ser possível. Deve-se buscar ver o pedófilo (que ironicamente esta palavra pode ser tradizida como "amigo da criança" através de sua origem grega formada por paidos philos), como um ser humano que não optou por tal atração sexual desviante do padrão, mas como um ser construído por ações vivenciadas que o levaram a se direcionar por este foco de busca de satisfação sexual, pois quem seria estúpido o suficiente para escolher uma orientação sexual desta que coloca em jogo sua própria vida afetiva e social? Estudos já comprovaram que a quase totalidade dos casos de pedofilia foram praticados por indivíduos que também foram molestados enquanto crianças e, sendo assim, quem sabe num mecanismo de resgate de algo "perdido" ou "mal compreendido" estejam a repetir tal feito? Claro que não temos uma receita pronta, pois cada caso tem a sua própria, o que podemos é perceber algumas coincidências quanto à sua construção. Como já dizia Renato Russo em suas letras de música: "Cada um tem motivos de agir como age" e estes motivos estarão na sua história de vida, por isso que todo cuidado com a criação dos filhos desta sociedade é de relevante importância. Devemos buscar ver o pedófilo como um ser humano com uma história de vida particular e peculiar, inserido num contexto sócio-histórico, vitima de um meio e de si mesmo, carente de ajuda. Devemos buscar compreender que mecanismos são estes que podem ser provocativos deste tipo de orientação.

Devemos estudar a história de vida destes pedófilos para compreendermos um pouco mais de sua constituição, pois condenar por condenar, que remediação teremos para o não aparecimento doutros casos como estes? Estamos aqui buscando não usarmos de julgamentos diretos para que possamos vir a compreendermos melhor a sistemática operante. O que parece nos causar estranhamento maior é o de sabermos, pelas estatísticas, que a maioria dos casos de pedofilia são cometidos pelos pais, parentes e amigos mais próximos e íntimos da família, isto é, por aqueles que trazem consigo laços afetivos profundos diante da vítima, sendo poucos casos cometidos por estranhos à mesma. Esta observação nos diz que a pedofilia não se trata, na maioria dos casos, um único meio de satisfação sexual, mas um deles, pois no caso de ser o pedófilo o próprio pai ou a própria mãe da criança, eles também assumem uma postura heterossexual aceita socialmente. A Classificação Internacional de Doenças (CID-10) da Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que pedofilia diz repeito à preferência sexual por crianças, quer se trate de meninos, meninas ou de crianças de um ou do outro sexo, geralmente pré-púberes ou não, sendo assim, pedofilia é considerada uma doença, logo, o seu praticante, o pedófilo, é um doente e não um mero marginal. Quais origens e que forças internas são essas que o pedófilo é detentor e o faz buscar satisfação diante de um objeto de prazer refletido numa criança? O que o faz deixar de suprir esta necessidade fisiológica com um par adequado à sua atual constituição física, trocando por um totalmente fora do contexto usual? Respostas a estes questionamentos podem ser variadas, mas devem ser buscadas e compreendidas, para que possamos entender onde possamos estar errando na criação de nossos filhos, pois as pessoas não se tornam pedófilas depois de adultas como por encanto somente, porque existe sempre uma história de construção bem anterior e que precisa ser levada em conta. Percebam aqui que não estamos a defender e aceitar a postura de um praticante de pedofilia, mas sim de compreendermos o que o levou a se tornar um pedófilo, para tentarmos compreender qual a participação da sociedade nesta construção personal. Com tal conhecimento poderemos evitar de cometermos erros que sejam possíveis por nós de serem evitados. No próximo artigo desta série daremos continuidade ao assunto, abordando a respeito da vítima, consequências, cuidados a serem tomados para evitarmos casos, meios de alerta de possíveis casos estarem ocorrendo perto de nós, legislação a respeito e outros assuntos afins. Como sempre, devemos analisar e pensar o mundo no hic et nunc sim, mas sempre sub specie aeternitatis (sob a perspectiva da eternidade), pois muitos conceitos e certezas de outrora caíram por terra, e muitas que temos hoje como verdades absolutas, poderão vir a cair, restando-nos a tolerância com quem pensa diferente de nós e mantermos o respeito mútuo, sendo estas as bases de conduta de verdadeiros seres humanos. (by Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995)

Minha querida amiga e dona de uma das mais belas vozes femininas do Brasil, a cantora Karina K. abrilhantou a festa de lançamento do Café Colonial Ana Maria (Giassi) ao lado do músico Toquinho (www.karinak.com). Karina completou mais um ano de vida neste dia 19 de maio e comemora com amigos com coquetel na Maze. Agradeço o convite para a festa natalícia e registro aqui meus votos de muitas felicidades e sucesso maior a cada dia!!! (Foto: Sheila Gastardi)

Na festa de lançamento do Café Colonial Ana Maria, a psicóloga e professora universitária, Rosnelda Ponick, representou a Associação Catarinense de Ensino e Faculdade Guilherme Guimbala, tradicional entidade de ensino superior de grande prestígio em Santa Catarina, diante da entrega do troféu em homenagem ao destaque da instituição de ensino. (Foto: Sheila Gastardi)

Presença marcante e simpática no lançamento do Café Colonial Ana Maria, da primeira dama de Joinville, Sra. Marinete Merss, que foi representar o atual prefeito de Joinville, Carlito Merss, merecidamente homenageado na ocasião. (Foto: Angela Guedes)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

TABAGISMO - a verdadeira lei para fumantes

Estamos na terceira pauta sobre tabagismo, amplamente reconhecido hoje como doença crônica gerada pela dependência da nicotina, estando por isso inserido na Classificação Internacional de Doenças (CID10) da OMS: o usuário de produtos de tabaco é exposto continuamente a mais de 4 mil substâncias tóxicas, muitas delas cancerígenas, conforme o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Mas pior que isso é o fumante impor aos que estão ao seu redor os mesmos riscos que ele sofre, isto é, aos não fumantes, conhecidos como "fumantes passivos". Então as regras devem ser rígidas e claras, pois a ação denota prejuízo de saúde de terceiros. Fumar em escolas, universidades, clubes, danceterias, bares, restaurantes, na presença de crianças e de jovens e de idosos, no trabalho e noutros ambientes sociais, não precisa-se de leis para tal impedimento, pois o bom senso deve ser a verdadeira lei, a qual está alicerçada no respeito ao mútuo, principalmente diante de um caso como o do fumo, que é provocador de doenças e de dependência, tanto química quanto psicológica, não sendo exemplo a ser seguido por ninguém, por se tratar de um ato nocivo e de dependência, quem sabe para preenchimento de um sentimento de falta, de insegurança pessoal ou de auto-afirmação. Resumidamente, a etiqueta social está operando nesta área também, pois ela vai de encontro ao bem estar social, e sempre em defesa da saúde e do convívio equilibrado. Da mesma forma que respeita o direito do indivíduo de fazer o que deseja, entende que este aceite é limitado diante do momento que vem a prejudicar, direta ou indiretamente, terceiros. Que opere o bom senso sempre, pois isto sim é uma questão de elegância. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995)

Seus Olhos, Nosso Mundo! clique acima para entrar no site!  COLUNA VEICULADA EM 15 DE MAIO DE 2009 OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

Liderança, autoridade & poder - líder paradigmático Existe um antigo provérbio chinês, que diz que "se você não mudar a direção, terminará exatamente onde partiu", mas aqui vai um alerta que desejo colocar nesta questão: podemos mudar de direção se não temos conhecimento de onde viemos, onde estamos e para onde queremos ir? Aqui entra a nossa bússula maior a nos sinalizar onde estamos, que são nossos paradigmas. Paradigma, do grego "paradeigma", são modelos, padrões psicológicos ou diretrizes que direcionam nosso caminhar. O linguísta suíço Ferdinand de Saussure conceitua paradigma como o conjunto de elementos similares, os quais se associam na memória e formam conjuntos relacionados ao significado. O paradigma representa nossos conteúdos internos que nos proporcionam uma visão de mundo, de nosso mundo; sendo assim, pessoas que agem conforme axiomas de um paradigma afim, terão identidade com o grupo, ficando unidas ao mesmo. Nossos paradigmas funcionam como um verdadeiro filtro diante de todas as informações externas. Um líder deve estar apto a se libertar de velhos e ultrapassados paradigmas e ir ao encontro de paradigmas organizacionais adequados diante da arte de liderar. Neste exercício de rever nossos paradigmas, temos que saber que é deveras importante fazermos distinção entre o relativismo de valores éticos e morais daqueles que são de natureza imutáveis.

O conceito de moralidade sofre variações de sociedade para sociedade, de geração para geração, de indivíduo para indivíduo e de etapa da vida para etapa da vida. Mas existem princípios universais, os quais dizem respeito às leis inalteráveis e fundamentais à existência humana e ao equilíbrio das relações. Para saber qual a medida exata de atuação, fazemos uma releitura do dito bíblico "não faça ao outro o que não gostaria que o outro fizesse a ti mesmo" para "seja o líder para seu subordinado que você gostaria que seu próprio líder fosse para ti mesmo". O estilo de pessoa e líder que seremos diz respeito a cada uma das decisões que tomamos em nossos dias e estas decisões são mediadas pelos nossos próprios paradigmas. Desta maneira sendo, se tomamos conhecimento maior a respeito de nossos paradigmas, assim como da maneira que eles se estabelecem, teremos possibilidade maior de sabermos de onde viemos, onde estamos e até onde iremos caso continuemos a usá-los da maneira que são. Mas caso queiramos caminhar noutras estradas que nos conduzam para outros destinos, basta que trabalhemos o filtro de nossas decisões, de nossa maneira de ser e de ver ao mundo, isto é, nossos paradigmas. Na imagem ilustrativa temos o símbolo no idioma japonês, escrito em Kanji, o qual lemos "chishiki" e significa Conhecimento. (Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995) Mehr Licht "As pessoas fogem da solidão quando têm medo dos próprios pensamentos" (Érico Lopes Veríssimo, escritor brasileiro; 1905-1975)

Ocorreu na quarta-feira, dia 13 de maio, a inauguração do Café Colonial Ana Maria, anexo ao Giassi Joinville. O evento esteve a cargo deste seu colunista associado à Gustavo Siqueira Ações de Comunicação. O sucesso do evento foi alvo de comentários por todos os presentes, os quais foram mais de 150, sendo um grupo de elite formado por prefeitos, deputados estaduais, vereadores, empresários, profissionais de destaque, entidades beneficentes, socialites e o melhor da imprensa de Joinville, somada a mais de 12 profissionais da imprensa de fora da cidade cobrindo o evento. Após um cerimonial dinâmico, Ana Maria Giassi entregou uma linda rosa de cristal assinado por Levi Beni aos nossos homenageados, sendo em seguida servido um café colonial maravilhoso ao som da cantora Karina K., destaque do programa ?Ídolos? do SBT. Agradeço aos diversos emails, mensagens e parabenizações pelo sucesso do evento, o qual é a soma de um trabalho sério de todo um grupo de profissionais. Agradecemos especialmente à família Giassi, a qual foi a pedra angular para que este sucesso fosse possível.

O grande empreendedor, sr. Zefiro Giassi, falou a respeito dos 5 anos que completará o Giassi em Joinville e da satisfação de estar inaugurando mais um café colonial em sua rede de supermercados, os quais foram batizados com o nome de sua esposa, Ana Maria, em homenagem muito merecida. sr. Zefiro estava radiante com a presença de tantos nomes de A a Z da nossa sociedade que foram prestigiar o evento de inauguração.

Presença do casal composto pelo ex-prefeito de Joinville, Marco Antonio Tebaldi e por Dilamar Tebaldi, a qual foi homenageada como uma das personalidades e mães de destaque em nossa sociedade.

Imagem do ambiente do evento. (Fotos: Sheila Gastardi)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

TABAGISMO - regras para fumantes

Nesta segunda pauta sobre tabagismo, apresento as regras do "NUNCA" aos fumantes, pois estes devem sempre ter em mente que a ação de fumar não é saudável e muito menos exemplo a ser seguido pelos demais. Mesmo que a sociedade permita este vício e fonte de "prazer", o mesmo deverá ter limitada sua ação diante do desconforto que possa vir causar aos não fumantes. Vejamos alguns ítens que devem ser observados e respeitados pelos fumantes: NUNCA acenda um cigarro à mesa de refeição. NUNCA fale com cigarro na boca. NUNCA fume em lugares que não sejam realmente arejados. NUNCA coloque a carteira de cigarro embaixo da camisa e nem o cigarro preso à orelha. NUNCA fume cigarros de outros (tragadinhas). NUNCA fume sem pedir licença às pessoas ao seu redor. NUNCA bata as cinzas em chavenas (xícaras), pires, copos e afins. NUNCA peça cigarros às outras pessoas (se não tem como sustentar seu vício, não o tenha). NUNCA solicite que alguém acenda seu cigarro, muito menos filhos e não fumantes. NUNCA acenda seu cigarro na brasa de outro cigarro. NUNCA fume diante da presença de crianças, jovens, idosos, pessoas doentes e não fumantes. NUNCA fume andando na rua, em restaurantes, shoppings, Igrejas, escolas e casas de saúde. Estas dicas não ferem o direito ao individualismo, apenas operam em direção ao bem estar social. Para sermos respeitados devemos, primeiramente, aprender a respeitar o próximo e compreender e aceitar nossos limites. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995)                                                                               Carmen Silvia Fuchsberger Gestora de Relacionamento

COLUNA VEICULADA EM 08 DE MAIO DE 2009 OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

A VIDA NO DIVÃ - máquinas de evacuar... sapientis est mutare consilium Esta é a terceira pauta do artigo "A Vida no Divã", sendo que na primeira abordei o tema "A Verdade" e, na segunda, "Como Fujo de Mim Mesmo", sendo que hoje trago um tema que tem como título "Máquinas de Evacuar". Darwianamente falando, milênios de um processo evolutivo ocorreram, mas não nos ocorre que, depois de uma evolução substancial, parecemos caminhar para o "nihil" (latim: nada) ou ao vácuo existencial? Creio que entenderão um pouco melhor deste ponto-de-vista até o findar desta pauta. Repetindo o que já comentei noutra oportunidade, o ser humano vive numa busca constante, buscando uns nos outros suporte de sustentação aos seus devaneios, e nesta busca, vê ao mundo, não como ele de fato o é, mas como quem está sedento por um modelo de ser, feito reflexo de si mesmo. Sendo desta maneira, a miopia pode e deve ser melhorada constantemente, e para tal, faz-se necessário passarmos diariamente em frente ao Templo de Delfos, pararmos e darmos atenção ao oráculo inscrito nas pedras do templo, na qual lemos "nosce te ipsum" (latim: conhece-te a ti mesmo), frase que levou Sócrates à sua própria conversão, o qual finalizou a sua existência terrena com chave de ouro (em 399 a.C.) pois, durante seu julgamento, nos alertou dizendo que "uma vida sem exame não é digna de um ser humano". Passados 2.408 anos, estamos nós aqui, subexistindo num mundo que faz de tudo para que pensemos em tudo, menos em nós de fato, o que nos impede a sermos apresentados a nós mesmos e, desta maneira, de ampliarmos nossa visão do mundo, do nosso mundo, passando uma existência sem de fato nos apresentarmos a nós mesmos.

O indivíduo nasce, vai para a escola, trabalha, casa, faz outros indivíduos e falece. Neste ínterim, o quanto existe de consciência diante de si mesmo? O quanto é apenas de caráter alienante e do desejo da grande massa e o quanto realmente é seu desejo e não o desejo que somente pensa ser seu? Evidentemente que a busca por si mesmo é continua, mas também é certo que é crescente a sapiência que a mesma traz consigo. Se nos localizarmos em apenas um dia da vida de um indivíduo, registraremos que ele se acorda, banha-se. veste-se, toma seu café-da-manhã, vai ao trabalho, almoça, retorna ao trabalho, vai à faculdade, retorna ao lar e descansa para ter energia para o dia seguinte. E assim passam-se os anos, a juventude, a fase adulta e a velhice chega. Então questionemos o quanto de seus dias foi para si mesmo de fato, isto é, para o encontro consigo e, quanto tempo dispôs para pensar sobre sua verdade, às suas próprias razões do existir e do fazer, mas atente que falo aqui de uma reflexão que vá ao encontro de si mesmo, de suas próprias questões, não dos modelos inseridos em si através da mídia, das instituições em geral, como da religião que, por tradição, sua família se fundamenta, bem como que valores realmente são seus e o quanto assumiu doutros como seus. Podemos resumir sobre o quanto de "consciência de si mesmo" é detentor. Muitos passam a vida sem consciência maior de seu próprio existir, e nos momentos em que poderia buscar reflexão maior, distrai sua mente com formas lúdicas diversas, como programas de TV que falam tudo e não dizem nada, vivendo a vida dos demais nas películas e novelas para não ter que ir ao encontro da suas próprias questões, festas diversas para distração sim, no sentido de distrair a mente, desviando-a o quanto puder para não ter que se haver consigo mesmo e com as suas verdades. Temos vivido numa sociedade que dispõe de um marcenal de informações de ponta, que outrora nunca imaginada fosse possível obter, mas a ironia disso tudo é que isto nos parece estarmo-nos emburecendo, pois estamos, a cada dia mais, tão perto do outro lado do mundo através da tecnologia, e proporcionalmente estamos tão longe de nós mesmos. Parecemos robôs programados pelo fabricante secundário, isto é, a sociedade. Se tirarmos de nossa agenda toda e qualquer ação programada, será que nos restará muito mais que um máquina de evacuar, como ilustra esta pauta o título da mesma que escolhi como alerta maior? Mesmo aqueles que, através de suas ações, desejam nos sinalizar a importância desta busca por nós mesmos, parecem eles também estarem alienados diante de seus próprios discursos. Necessário se faz um esvaziamento para que deslumbremos o que é de nossa real essência, seguindo ao conselho de meu amado Friedrich Nietzsche, quando diz: "Torna-te aquilo que és", e ratifico aqui, somos mais que máquina de evacuar e sobre isto, pelo menos, estou bem certo e disposto estou a evitar de estar inserido num sistema vivencial pateticamente ciclotímico.("sapientis est mutare consilium"; latim: é próprio de uma pessoa sábia a mudança em sua maneira de pensar.) (by Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995)

Tenho o prazer de estar assumindo como produtor da Gustavo Siqueira Ações de Comunicação, cujo evento assinado aconteceu na quarta-feria, dia 13 de maio, às 16:00, quando reunimos convidados especiais e imprensa nas dependências do Supermercado Giassi, de Joinville, com a presença especial de dona Ana Maria Giassi (foto). Além de homenagens e atrações especiais, um delicioso café-colonial nesta data que marca a inauguração do Café Colonial Ana Maria, o qual funcionará junto ao restaurante do Supermercado Giassi de Joinville, das 16 às 21 horas diariamente. Aguardem cobertura especial deste badalado evento.

O casal Zefiro Giassi e Ana Maria Giassi ladeados pelas filhas, Mariléia Giassi e Maristela Giassi, no evento promovido em Blumenau, pela Gustavo Siqueira Ações de Comunicação.

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

TABAGISMO

Como já sinalizei em diversas colunas, a base da etiqueta social diz respeito ao bom senso e ao respeito mútuo. Nas pautas sobre tabagismo não entraremos nas questões psicológicas e nas de saúde física que o envolvem, mas sim quanto ao comportamento social de um fumante. Fumar é uma ação que foi normatizada e, sendo assim, abusos de diversas ordens foram cometidos quanto ao uso, principalmente diante daqueles que não comungam com este hábito. Onde, quando e de que maneira fumar são tópicos a serem analisados e estão repletos de regras para que não venha o usuário a prejudicar aos demais, pois da mesma maneira que uma pessoa não vê problema algum em flatular, não irá sair por ai flatulando em todo e em qualquer lugar e nem diante dos demais. Quanto ao bem estar, os interesses do coletivo devem estar sempre acima daqueles do campo individual ou de pequenos grupos, não sendo isto, de maneira alguma, falta de respeito ao diferente, mas a busca do equilíbrio, respeitando-se o desejo individual sim, mas deve este ir em ação até onde não venha a prejudicar aos demais. Na próxima coluna apresentarei algumas regras aos fumantes. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995) Mehr Licht "Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar." (Friedrich Wilhelm Nietzsche, filósofo alemão, 1844 - 1900) Veja ainda neste informativo os seguintes artigos assinados por HANG veiculados nas semanas anteriores. 30/04 A ARTE DO ENSINAR E APRENDER - DO RENASCIMENTO AO EMPIRISMO 24/04 EDUCAÇÃO INFANTO-JUVENIL: REPASSANDO O SCRIPT DOS PAPÉIS 17/04 DESMISTIFICANDO A SEXUALIDADE HUMANA - DO FETO AO ANCIÃO: BISSEXUALIDADE 09/04 ELABORANDO A BÍBLIA: PESEACH 03/04 LIDERANÇA, AUTORIDADE & PODER: TALENTO ESTAGNADO 27/03 ELABORANDO A BÍBLIA: PÉROLAS AOS PORCOS 20/03 A ARTE DE ENSINAR E APRENDER: DA ANTIQUIDADE À IDADE MÉDIA 13/03 A VIDA NO DIVÃ: COMO FUJO DE MIM 06/03 EDUCAÇÃO INFANTO-JUVENIL: ERA UMA VEZ... NOVO SITE: Clique na imagem acima e entre no site da ALEXANDRE TELLES ODONTOLOGIA. Esta interessantíssimo, contendo muitas informações, apresentação da clínica e seus renomados profissionais.      edição25 A Revista Inverso, da qual faço parte como colunista de nosso Estado, com uma coluna que tem como título "Zoom Santa Catarina" e tem como editora e diretora, Cristina Jones, supera-se em cada edição. A revista aborda assuntos dos Estados do Sul do Brasil e é distribuída em São Paulo, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, além de Argentina e Chile. Clique na imagem acima para entrar no site da revista. Em Joinville, compre na Livraria MIDAS.   A Revista Top Night & Day, que assino coluna à convite do Comendador Edgar Lopes para sua revista paulista de circulação nacional e internacional, é especializada em concursos de beleza do Brasil e exterior e de movimentação social e artística. Clique na imagem acima para ve a coluna anterior e veja abaixo a atual.   O luxuoso RIBEIRÃO GRANDE ECO RESORT & SPA, em Jaraguá do Sul, é uma das melhores opções de lazer e descanso do Sul do Brasil, estando localizado num pedaço do paraíso da Terra. Clique na logo acima para entrar no site do hotel e conferir este lugar abeçoado por Deus. (clique na imagem acima ou abaixo para entrar no site do hotel)

A Revista Auto Estima que já está em sua 28ª edição e conta com mais uma coluna que assino sobre o Estado de Santa Catarina, agora está também com sua versão on-line, sendo que você poderá apreciar o conteúdo da revista clicando na logo acima. A revista tem alguns dos melhores colunistas do Brasil representando seus Estados, alguns países, tendo ampla circulação. A editora da revista é Yumi Okamura. Veja abaixo a minha coluna atual desta revista.           

Joinville - Balneário Camboriú

Cila Budal Cabeleireiros está agora também na belíssima cidade de Balneário Camboriú. Cila Budal Cabeleireiros é uma dos maiores referênciais de Santa Catarina em salão de beleza. Em Joinville está localizada em modernas instalações em plena área central, na Rua Aubé 347, telefone (47) 3026-69. E em Balneário Camboriú, está situado à Avenida Atlântica, 5820, sala 02, na Barra Sul, fones (47) 3268-3013 e (47) 3367-5186. Entre em contato por e-mail, clicando na logo acima. Classe, requinte e bom gosto fazem parte da marca de Cila Budal Cabeleireiros.   O Portal de Canoinhas também veicula a COLUNA by HANG. Clique na logo acima para entrar no site para ver.

Veja a minha coluna social do Jornal da Noite, que é distribuído nas melhores bancas pelo Vale do Itajaí, Vale Europeu, Blumenau e em Florianópolis. Além de minha coluna sobre a sociedade, o Jornal da Noite aborda muitos assuntos do meio político com enfoque e compromisso com a verdade, como o slogan do Jornal da Noite se refere e tem como editor-chefe, Sr. Alvir Renzi.   CURSO DE PSICANÁLISE EM EXTENSÃO A Teoria e a Clínica de Freud a Lacan - Módulo X O corpo: do clássico ao contemporâneo  (com a psicanálise em mente)

Qual a relação entre o corpo e a mente? Com a separação entre a res cogitans (a coisa pensante) e a res extensa (coisa corporal), Descartes inaugura na Idade Clássica a famosa separação entre o pensamento e o corpo que permite situar o corpo como um objeto do pensamento - não só o corpo humano mas todos os corpos (animados e inanimados) que se situam no espaço e no tempo. Com isso Descartes abre o caminho para o desenvovimento das ciências: da física à medicina: o corpo é um objeto de estudos. Com a psicanálise, Freud inaugura um outro corpo para o humano: o corpo que pensa, que goza e que sofre. Os histéricos mostraram a ele que o Inconsciente toma o corpo e possui o sujeito. Desde então não é mais possível a separação entre corpo e mente. Lacan retoma os conceitos freudianos e demonstra que o sintoma é um "evento do corpo" . Do balé histérico à fragmentação esquizofrênica; da performance obsessiva ao olhar do Outro da paranóia, a psicanálise inventaria os "mistérios do corpo falante" (Lacan).O corpo contemporâneo exposto no açougue da ciência, com seus novos modelos de cortar a carne, coloca na vitrine bulimia, drogadição, anorexia e depressão, etc e tal. Recolhendo-a no divã, o psicanalista faz a carne abatida falar, o sangue estancar e o corte encontrar seu lugar. Para maiores informações remete e-mail clicando na imagem acima ou pelo telefone (47) 3422-6876.

A loja de locação de trajes para festas e eventos, Stallones Fashion Center, tem uma linha ultra-moderna de becas. Momentos especiais em nossa vida, como é o tão esperado da formatura, merece o melhor para que o registro seja feito com chave de outro. Clique na imagem acima para entrar no site da Stallones.

A Academia Andança Fitness, em Joinville, que localiza-se a Rua Paraná, 390 e que tem mais de 15 anos de  profissionalismo na Cidade dos Príncipes, está com mudanças radicais em sua estrutura física e de gestão. Aguarde excelentes novidades que estão vindo por ai!!! Contato pelo telefone (47) 3422-5182.

COLUNAS ANTERIORES COLUNA VEICULADA EM 30 DE ABRIL DE 2009

OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

A ARTE DO ENSINAR E APRENDER - do renascimento ao empirismo disce docendo adhuc Na coluna anterior a respeito desta temática, pincelei um pouco do histórico da educação da Antiguidade à Idade Média. Hoje apresentarei a partir do Renascimento, também chamado de Renascença, indo até o empirismo. É neste período que desencadeou movimentos de ruptura do domínio imposto pela Igreja Católica durante a Idade Média, onde foi revista a posição de pecado e ocorreu uma redefinição do que é do campo da moral. Na época medieval tínhamos como operante o coletivismo, em contraste, no Renascimento, o individualismo estava em voga, sendo que os indivíduos, neste período, tinham como objetivo principal viver a vida no "hic et nunc" (latim: "aqui e agora") e não mais estavam preocupados com uma vida pós vida terrena, como outrora estiveram. Isso tudo teve raiz na Itália, onde o comércio e a vida urbana estavam operantes e em crescimento. No que diz respeito à educação, no Renascimento buscava-se bases não religiosas, onde a meta era ressaltar valores burgueses. O príncipe dos humanistas, o holandês Erasmo de Roterdã (1466-1536) foi uma figura ímpar diante da reforma educacional da época, com a qual buscava acabar com a estagnação da ignorância em que se encontrava a juventude, opondo-se à disciplina coercitiva e à escolástica, sendo que esta foi satirizada na obra "Gargântua e Pantagruel", do francês François Rabelais (1495-1553). Outro francês, Michel Montaigne (1533-1592) criticou o pedantismo dos sábios da época e o ensino livresco, sinalizando a importância da educação integral, que nos faz lembrar da Paidéia grega. O Renascimento, devido a ser um período de transição, esteve repleto de contradições.

A partir daqui a Igreja Católica reagiu, impulsionada também com a reforma protestante (entre 1526 e 1529), encabeçada por Martinho Lutero e a força cultural do Renascimento, se abala. Aparece neste momento, fundada em 1540 pelo ex-militar espanhol Inácio de Loyola, a ordem religiosa Companhia de Jesus, a qual tinha como objetivo primeiro a propagação da fé católica e a luta contra infiéis e heréticos e fundaram colégios-seminários, os quais eram buscados pelos que desejavam uma boa educação. Criaram estes jesuítas um plano de trabalho para homogeneizar a ação dos docentes e o ensino em seus colégios, e isto se oficializou com o documento "Ratio Studiorum", publicado em 1599, o qual delineava até mesmo a forma da posição das carteiras em sala-de-aula e da reprodução sem reflexão. Sendo adotado pelo Brasil no século XVI, permaneceu em evidência até o século XVIII. A atuação dos Jesuítas no Brasil teve alguns pontos negativos principais, como a desintegração da cultura dos nativos, a homogeneização e a imposição cultural, estando este três ítens interligados. Neste sistema, as aulas eram radicalmente expositivas, sendo os estudantes simples expectadores e tinham que aprender pela repetição dos exercícios para memorizarem aos conteúdos. Martinho Lutero (1483-1546) também contribuiu com a educação, sendo contra a regra de memorização, adotava a postura de uma tradução mais livre da Bíblia, era contra castigos físicos na educação e afirmava que o aluno deveria passar parte do dia na escola e outra diante dos afazeres domésticos ou aprendendo uma profissão, estando então estes conceitos em maior sintonia com o momento histórico em questão. Após este período teremos o século do método (sec. XVII), em que ocorreram questionamentos pedagógicos diversos. Comênio (1592-1670) sinalizou em sua obra "Didática Magna" a importância de se oferecer à criança um ensino agradável, respeitando a maturação mental da mesma. Já o empirista Francis Bacon (1561-1626) propunha uma reformução na educação, a qual deveria estar além do caráter informativo, mas que fosse ao encontro da sabedoria através da experiência. Para o inglês John Locke (1632-1704), em sua obra "Pensamentos Sobre a Educação", colocou-se contra o estilo educacional vigente e defendia uma educação voltada a tornar a pessoa boa e útil, com a qual deveria criar hábitos de renúncia aos instintos, ocorrendo a abnegação de seus desejos, seguindo o dito da razão. Na próxima coluna desta temática, abordarei a partir do século das luzes. O questionamento que fica é: o quanto de nossa educação atual, ofertada do ensino fundamental ao superior, está além do proposto pelo "Ratio Studiorum", apesar de tantas teorias novas já formuladas? O que se tem tornado ação além das teorias modernas formuladas? ("disce docendo adhuc" é uma expressão em latim e significa: "aprende, enquanto ensinas". (by Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

COMUNICAÇÃO COM CLASSE: bom senso e respeito mútuo

Sabemos que o ser humano se constitui como tal através da linguagem, principalmente da falada, assim percebemos o quanto este exercício se faz presente e tem importância ímpar em nossa vida particular e social. Nas oito colunas anteriores, apresentei diveras dicas a respeito da arte de bem conversar, as quais formam uma base segura diante desta ação, regras que poderão ser resumidas em apenas uma expressão: bom senso, sendo que, usando deste artifício, não temos por que nos preocupar, pois é companhia deste, o respeito mútuo, fator fundamental para nossa vida social. Como exemplo de uso do bom senso, posso ilustrar os diversos momentos em que não lembramos o nome de quem está conversando com a gente ou de onde o conhecemos, e ainda mais quando falam conosco com grande intimidade, nos pesando mais a consciência por tal esquecimento. Então, o que fazer? Contornemos, mantendo a conversa e, quem sabe, aparece a informação que precisamos, mas não devemos dizer para a pessoa que não lembramos, pois isso é deveras desagradável. Outro exemplo de bom senso é, antes de irmos a um evento, se não temos assuntos em pauta, busquemos nos informar sobre notícias atuais ou sobre o que as pessoas que encontraremos gostam de falar, sendo assim, nos tornaremos agradáveis. O trato social é sempre baseado na lei maior do bom senso e do respeito mútuo, sendo que, agindo sobre este alicerce, temos tudo para sermos pessoas agradabelíssimas. (by Carlos Alberto Hang, professor e consultor de etiqueta social desde 1995) Mehr Licht "É lento ensinar por teorias, mas breve e eficaz fazê-lo pelo exemplo." (Lucius Annaeus Sêneca, célebre escritor e intelectual do Império Romano; 4 a.C. - 65 d.C.)

COLUNA VEICULADA EM 24 DE ABRIL DE 2009

OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR "Posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las." Voltaire

Educação Infanto-Juvenil - repassando o script dos papéis Dando continuidade ao tema anterior abordado, hoje começarei a tratar a respeito da problemática que está sobre a posição de papéis claros dos pais, filhos e avós diante da composição famíliar. Décadas atrás sabíamos muito certeiramente quem era o pai, a mãe, os irmãos e os avós, isso devido aos papéis que desempenhavam conforme sua nomeação. Mãe era mãe, pai era pai, irmãos eram irmãos e avós eram avós. Mas voltando aos dias atuais, esta matemática não se faz possível de ser aplicada em sua totalidade diante do quadro familiar presente, mas o que temos é o que sinaliza os vocábulos, os quais têm proveniência da base biológica, não necessariamente que esta sinalizará envolvimento com o "script" em que o vocábulo é sustentado. Não quero dizer aqui que está tudo errado como está, mas sim que estamos num processo claro de readequação de papéis, num sistema reformulatório do que vem a ser chamado família, o qual proverá num organização nunca vista antes. Mas é devido a estamos mergulhados tão profundamente neste processo, que temos que nos debruçarmos sobre avaliações diversas e tomarmos cuidados a não desviarmos do processo positivo destas mudanças. Por necessidade financeira ou até mesmo por ter como foco bens materiais em detrimento do que realmente edifica, marido e mulher passam suas horas diárias labutando logo após a tal ?lua-de-mel?. E, em meio ao propósito de sustentação, de obtenção de bens materiais e conforto maior, do casal surgem as proles. Logo após o nascimento do filho, salvo o tempo permitido por lei para que a mãe preste cuidados maiores ao bebê, o casal retorna ao ritmo anterior. E como fica o recém chegado ao Planeta Terra, carente de todos os maiores cuidados? Lá vai mais uma vaga na creche pública mais perto de casa possivel. Cada vez mais cedo os pais têm colocado seus filhos nas creches, deixando-os aos cuidados de terceiros e, quando não está na creche, fica aos cuidados dos avós ou irmãos mais velhos.

O questionamento que fica é: será que, mesmo sendo com os mais eficazes e responsáveis cuidados, estas substituições suplantam as necessidades do contato maior dos filhos com os seus genitores? Quais os ganhos e perdas diante desta sistemática funcional? Lógico que é preferível um contato menor, mas com qualidade, do que maiores sem qualidade adequada. Mas o que trago aqui hoje não é desta falta, mas além dela. Analisando, como exemplo, o comportamento inadequado de muitos alunos nas escolas, os quais são detentores de uma postura sem respeito desde da ordem superior hierárquica, isto é, com os professores, até aos de seu próprio nivelamento, isto é, diante dos demais alunos. De onde vem tanta situação constrangedora que vemos neste exemplo citado, que não fala diretamente da falta da "Lei", isto é, do papel de "limítrofe", o qual é buscado diante da figura dos pais, pois estes são as setas primeiras do bebê até à adolescência a indicar o que é coerente ou não acionar. Mas como podem os filhos terem estas sinalizações incorporadas sendo que os pais passam seus dias fora de casa e, quando estão, ou não os encontram diretamente, ou a televisão, os amigos e os afazeres domésticos tomam conta dos ponteiros dos relógios deles? Outra situação que acontece é o exagero de cuidados nos poucos momentos em que os pais estão presentes ou ainda presenteando exageradamente aos filhos, isto como mecanismo de alívio das consciências dos próprios pais sobre o abandono que promovem diante da criação efetiva de seus filhos, então, sentindo-se culpados, buscam compensações diversas. Seja pelo exagero de afeto por compensação, seja pela falta de contato maior, peca-se da mesma forma diante da necessária formação integralizante de seus filhos. Na próxima edição desta temática, falarei a respeito da troca de papéis e da inadequação destes, mostrando a necessidade dos pais assumirem papéis de pais e não de amigos apenas dos filhos, assim como avós de avós, entre outros. Se existe no ser-humano atual uma imensa demanda, a qual está muito acima do conforto e bens materiais, esta é a demanda de amor, de amor entre pais e filhos. (by Carlos Alberto Hang, palestrante desde 1995)

Mehr Licht "Lembra-te de que, um dia, teu filho seguirá teu exemplo antes do que teus conselhos." (Max Forman)

GUIA DE ETIQUETA & APRIMORAMENTO SOCIAL

COMUNICAÇÃO COM CLASSE: familiares e afins

Como toda regra de etiqueta comportamental, o que sempre deve estar na balança é a medida ditada pelo "bom senso", onde evitamos constranger aos demais e onde exista respeito mútuo, promovendo assim ordem, equilíbrio e aproveitamento para todos diante da arte do conversar. As regras são, principalmente, alertas maiores aos que nos são íntimos, principalmente familiares e amigos de trabalho e de estudo, pois aos demais já existe como filtro um distanciamento devido a falta de intimidade maior. Sabe aqueles colegas inconvenientes ou aqueles parentes que aparecem de vez em quando em sua casa, sendo que, de suas bocas saem comentários constantes de críticas sobre os presentes, e ainda pior, na frente dos demais, numa maneira

 

Mais de “Carlos Alberto Hang”